consultoria@artsevencontabilidade.com.br

Custos efetivos com um funcionário

Custos efetivos com um funcionário
custos efetivos com um funcionários

Os custos efetivos com um funcionário dentro de uma empresa é um dos temas que mais tem sido alvo de comentários na atualidade. A questão principal é saber quanto custa para mantê-lo dentro de um regime CLT.

Além disso, é curioso saber quão burocrático e custoso é seguir toda a legislação trabalhista do Brasil. Manter o funcionário da empresa em questão satisfeito e bem remunerado de acordo com o seu cargo é um desafio.

Com base na legislação que foi alterada no ano de 2017 pela reforma trabalhista, um funcionário dentro de uma empresa pode ter custos de até 75% a mais, além do seu salário mensal por mês.

Nesse salário mensal, inclui-se, o valor do FGTS, as férias, o décimo terceiro, o vale transporte e também o INSS. Isso porque são quantias obrigatórias que devem ser atribuídas a todos os funcionários em regime CLT do país.

Benefícios para funcionários e custos efetivos

Há também algumas exceções que incluem como benefícios dos funcionários da empresa alguns itens que não são obrigatórios, como seguro de vida ou convênio médico.

Existem muitos casos de pequenos empreendedores que optam por contratar seus funcionários de maneira informal. Dessa forma, não precisará se responsabilizar por todos esses custos que são gerados por cada um dentro de uma empresa.

Porém, nesse caso, o empreendedor só está deixando os problemas para lidar mais tarde e não os resolvendo de uma maneira efetiva. Pelo fato de que, na maioria das vezes, o próprio governo ou o trabalhador irão atrás de seus direitos.

Por isso, se torna bastante importante entender e saber fazer os cálculos dos valores que serão gastos com cada empregado, estando ele no regime CLT ou informalmente.

Exemplo de custos efetivos com um funcionário

De maneira prática e hipotética, mostraremos a seguir, como seriam os custos efetivos de um funcionário dentro de uma empresa. Esperamos que fique claro como o empreendedor deveria fazer os cálculos mensalmente, de modo que se compreenda os custos de seus trabalhadores.

Considerando um funcionário que recebe por mês um salário de RS 1.000,00, ele terá uma aplicação de oito por cento do valor para o FGTS. Portanto, R$ 80,00, décimo terceiro de R$ 83,30 considerando um doze avos sobre o valor do salário.

As férias, assim como o décimo terceiro é de R$ 83,30. Se considerarmos que essas férias serão indenizadas, terá também um terço sobre o valor das férias que dará R$ 27,77. O aviso prévio, considerando que foram trabalhados doze meses, dará um total de R$ 83,30. Isso se o aviso prévio for indenizado.

Além disso, o funcionário terá três dias, pois a cada doze meses, o funcionário tem direito a mais três dias a ser calculado. Lembrando que, esses três dias não são trabalhados, pois esse fator é indenizado.

Décimo terceiro e FGTS

Já o décimo terceiro sobre aviso prévio é calculado da seguinte forma: considerando o valor do aviso prévio juntamente com os três dias, calcule um doze avos desse valor que dará um total de R$ 7,64.

O FGTS sobre aviso prévio e décimo terceiro dá um valor de R$ 14,61. A multa de FGTS é no valor de R$ 47,31, pois são somados todos os valores de FGTS. Além disso, precisa fazer o resultado vezes cinquenta por cento. Assim, são quarenta por cento para o funcionário e dez por cento para o governo.

O valor das férias sobre décimo terceiro fica no valor de R$ 7,64. Além disso, há também o valor de um terço das férias que dará R$ 2,55. Por fim, o vale alimentação com o valor de R$ 378,00, o vale transporte de R$ 336,00 e a assistência médica de R$ 200,00.

 Veja o que podemos fazer por você no departamento contábil.