Hora extra ou Banco de horas?

Existem dias em que o expediente parece curto e os projetos muito longos, por isso seus colaboradores vão precisar ficar além do horário. Mas como o seu RH vai lidar com esse tempo de trabalho extra? Como compensar os funcionários por esse tempo extra? De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) existem duas formas legais de fazer isso, hora extra ou banco de horas.

Hora extra

Hora extra é toda a hora de trabalho realizada além do horário contratual. A legislação brasileira determina o limite de 2 horas diárias. Quando o colaborador trabalha nesse regime, ao fazer hora extra ele receberá o acréscimo de, no mínimo, 50% do valor da hora normal sob cada hora realizada. Ou seja, Se a hora de trabalho é R$20, ele receberá R$30 por cada hora extra.

Essa opção também gera um aumento na folha de pagamento, o que é ótimo para o funcionário, mas ruim para a empresa, já que gera um aumento significativo nas despesas. Nessa caso não é permitida a flexibilização do trabalho, a recompensa é apenas financeira.

Banco de horas

Autorizado pela Lei 9.601/1998, trata-se de um sistema de compensação da jornada de trabalho. Nessa situação o colaborador poderá folgar no trabalho o mesmo período de tempo que fez de jornada extra. Assim como na hora extra, também haverá um acréscimo. Por exemplo, se o colaborador trabalhou 2h a mais, haverá um adicional de 50%. Ou seja, ele poderá folgar por 3h. Se a hora de trabalho extra acontecer de domingo ou feriado, ocorre um acréscimo de 100%.

Mas qual é a melhor opção: Hora extra ou Banco de horas?

Ambas as opções possuem aspetos tanto negativos quando positivos basta você estudar a sua empresa e definir a melhor para você e seus funcionários. Antes de escolher, não se esqueça de que é de extrema importância um controle de ponto. É por meio dele que você saberá o tempo de jornada adicional do seu funcionário. Para mais detalhes sobre a legislação trabalhista, entre em contato com a Art Seven Contabilidade.

Deixar um Comentário